PT EN

JAS

2013

O olho circular
Caixa de vaselina
Máquina de fazer folhas

Procuro desenvolver, um espaço físico envolto numa atmosfera sonora que nos remete para uma "situação", uma "recordação", um "fragmento". Uso video, animação em stop motion, para que os objectos sejam uma especie de "quadros vivos".Uso a instalação para mostrar três "quadros vivos". Os quadros são fragmentos de anotações. A instalação é uma mistura de quadros e caixotes; estes são uma espécie de invólucros virados ao contrário, expor o desconhecido para fora e tudo o que está fora passa para dentro. O "Olho circular" é algo rotiforme, que acontece e vai dar sempre ao mesmo local. Um ciclo. O Planeta. Uma vagina. Todo este processo acontece, em simultâneo, de uma forma bastante sóbria, acompanhado de catástrofes e coisas que me fazem desviar o olhar. A "Caixa de Vaselina", aproxima-se de todas as coisas que me remetem ao passado, recordações encaixadas e seladas. Memórias dentro de uma caixa. A "Máquina de fazer folhas", é uma máquina de fazer folhas. A ausência da cor também tem influência neste objecto.

O Som tem duas particularidades, uma é a atmosfera sonora e a outra é a sonoridade individual de cada "quadro vivo". Essa atmosfera provoca uma temperatura "física" que por sua vez está destinada a alternar por diferentes sensações.

Bio

Nasceu no Porto em 1981. Vive e trabalha no Porto. O seu trabalho tem-se desenvolvido em diferentes áreas e práticas artísticas como a instalação, a performance, o vídeo, a pintura, cenografia  e o desenho. Fundou o Espaço INCUBADORA (2002-2007) em Vila Nova de Gaia com Tiago Feijó e João Alves. Colaborador e membro do Instituto Antimatéria desde 2009  no Espaço Ilimitado – núcleo de difusão Cultural e o Quarto Escuro – project room, no Porto. Tem desenvolvido diversos projetos em parceria com Pedro Moura, de salientar a residência artística no Centro Cultural de Belém, no âmbito do projeto “Um Artista todos os públicos”, com “Da boca para as mãos”, "Calçadas" e "Pim-pan-tom". Atualmente participou no Festival Europeu BIG BANG (CCB) com Pedro Moura onde apresentam “ESPELHOS”.

Expõe individual e coletivamente desde o ano 2000, destacando a sua última intervenção em 2012 na Fundação Escultor José Rodrigues e na Galeria João Pedro Rodrigues no Porto.

Tem colaborado com Saguenail ilustrando diversas das suas obras literárias.